22 de abr de 2013

SARAU ENTRE LIVROS - "BOTECO DA FIDELIDADE"

Acontecerá nesta terça-feira dia 23 de abril na Biblioteca da Saúde, Bloco E, 5º andar,  o Sarau Entre Livros “Boteco da Fidelidade”. Uma homenagem ao centenário de Vinícius de Moraes, haverá um repertório musical apresentado pelo grupo “Multiversos”,  declamações de poesias e degustações de sabores e sorteios.

O evento ocorrerá às 20h30 com  entrada franca.

12 de abr de 2013

TOP 10 das Bibliotecas


O Sistema Integrado de Bibliotecas (SIbi) apresenta os DVDs e Livros mais emprestados nosso TOP 10.

Livros

1.       O pequeno príncipe – Saint-Exupery, Antoine de (B. Central / Saúde)
      2.       O menino de pijama listrado – Boyne John ( B. Central / Saúde)
      3.       Comer, rezar, amar: a busca de uma mulher por todas as coisas da vida na Itália, na Índia, e na Indonésia – Gilbert, Elizabeth (B. Central)
      4.       As esganadas – Soares, Jô (B. Saúde)
      5.       Muito longe de casa: memórias de um menino-soldado – Beah, Ishmael (B. Central)
      6.       Querido John – Sparks, Nicholas (B. Central)
      7.       O semeador de idéias: que atitudes tomaria se o mundo desabasse sobre você – Cury, Augusto (B. Central)
      8.       Se abrindo para vida – Gasparetto, Zibia (B. Saúde)
      9.       Orgulho e preconceito = pride and prejudice – Austin, Jane (B. Saúde)
      10.   A casa negra – King, Stephen (B. Saúde)

 
DVDs

1.       A origem (B.Saúde)
      2.       Alice no país das maravilhas (B. Central)
      3.       O poderoso chefão (B. Central)
      4.       Amor além da vida: existe muito mais após a vida ( B. Central)
      5.       A proposta (B.Saúde)
      6.       A paixão de Cristo (B. Central)
      7.       20 anos sem Raul Seixas (B. Central)
      8.       Cruzadas (B. Central)
      9.       Brilho eterno de uma mente sem lembranças (B. Central)
      10.   Sete Vidas (B.Saúde)

Estaremos sempre divulgando mais informações, sobre os livros e DVDs emprestados, novas aquisições, e todo mês vocês podem encontrar aqui dicas de leitura e de DVDs para seu entretenimento.

8 de abr de 2013

César deve Morrer


“Depois que descobri a arte, esta cela transformou-se numa prisão”. 
 
 

O que esperar de um filme interpretado por prisioneiros da ala de segurança máxima de Rebibbia, nas cercanias de Roma.

Um belo filme, conduzido pelos irmãos Paolo e Vittorio Taviani, mostra o ensaio de um grupo de teatro da prisão, para peça Julio Caesar de Shakespeare, no grupo tem ladrões, traficantes, homens envolvidos com a máfia.

Um grupo que não poderia dar nada, mas o resultado é muito bom, o preso que interpreta Brutus - Salvatore Striano, literalmente rouba a cena no filme, um dos pontos interessantes do filme é ser filmado em sua grande parte em preto e branco, tendo o começo e o final a cores e utilizar a própria prisão como cenário do mesmo.

A historia de cada um do grupo acaba se misturando aos personagens, como também o dialeto de origem ao texto, o diretor de teatro de Rebibbia, Fabio Cavalli, interpreta ele mesmo no filme ajuda a compor todo esse mundo .
O Filme faturou entre outros premios
- Em 2012, vencedor do Urso de Ouro e do Prêmio Ecumênico do Júri no Festival de Berlim (Paolo Taviani e Vittorio Taviani)

- Em 2012, vencedor do David di Donatello Awards de Melhor Direção, Melhor Edição, Melhor Filme, Melhor Produtor e Melhor Som. Foi indicado também a Melhor Fotografia, Melhor Música e Melhor Roteiro

O texto a seguir extrai do blog tecelã http://tecelan.blogspot.com.br/2013/03/sala-escura-cesar-deve-morrer.html,  concordo plenamente com o que a autora coloca é realmente algo a ser pensado.

Os irmãos Taviani, ao optarem pelo desvio, pelo que costumeiramente fica escondido, relegado às sombras, ao optarem por filmar atrás das grades de um presídio, trazem à luz delitos, crimes hediondos, sentimentos mesquinhos, as fraquezas humanas, mas também sua grandeza e a possibilidade de se construir novos caminhos.

 

E então a gente se pergunta: O quanto a arte, o teatro, o cinema, a pintura, a música, a fotografia, o artesanato poderiam fazer pela população carcerária, por menores infratores? Estaríamos contabilizando cada vez mais crimes, violência, pessoas encarceradas, se tivéssemos políticas públicas mais voltadas para a educação e a cultura? E se tivéssemos menos shopping centers e mais bibliotecas, museus, centros culturais, cinemas, teatros, circos? Menos estacionamentos e mais praças e jardins?

Cinema como o feito por Paolo e Vittorio Taviani nos fazem refletir sobre o que podemos fazer do lado de cá das grades para que haja cada vez menos gente do lado de lá.